Brasil: rumo a um país sem educação

Ter, 14 de Maio de 2019 15:55 Rodrigo Travitzki Políticas públicas de educação
Imprimir

Traduzo aqui parte do artigo que acaba de sair na Nature, uma das mais respeitadas revistas científicas internacionais.

Brasil: rumo a um país sem educação

Juliano Morimoto
11 de maio de 2019

A instabilidade política atingiu agora níveis mortais para ciência, tecnologia e educação no Brasil. A educação está literalmente desaparecendo; A ajuda internacional é urgentemente necessária.

 

Carnaval. Copacabana De praia. Futebol. Essas são as primeiras imagens que surgem na mente de qualquer pessoa quando o assunto é o Brasil.

Mas olhando com mais atenção, a atual instabilidade política do Brasil revela uma realidade que é tudo menos alegria e felicidade - particularmente para ciência, tecnologia e educação.

As coisas estão ruins. Não é o tipo de "ruim" com o qual podemos viver; não é uma questão de se acostumar com novas maneiras de fazer as coisas. É ruim, no sentido de que os principais centros educacionais da América Latina podem desaparecer até o final de 2019.

Ações recentes do governo para reduzir o orçamento das universidades federais públicas deixaram as principais instituições do país perdidas. A universidade mais antiga do Brasil, a Universidade Federal do Paraná com mais de 100 anos, passou por uma redução de 30% em seu orçamento, um total de 48 milhões de reais (c. US $ 12,2 milhões). Infelizmente, este não é um caso isolado. Em todo o país, os cortes chegam a 5,8 bilhões de reais (c. US $ 2,1 bilhões).

Esta política visa diretamente as universidades públicas, que, ironicamente, são aquelas com maior reputação internacional e produtividade científica no país. De fato, mais de 90% das publicações científicas brasileiras são de universidades públicas, e todas as universidades brasileiras nas fileiras internacionais são públicas. Dados esses números, é um tanto estúpido justificar os cortes dizendo que as universidades públicas não estão envolvidas em pesquisa, como sugerido pelo governo.

Mas espere! As coisas pioram.

Mais de três mil bolsas de mestrado e doutorado foram canceladas em todo o país. Alegadamente, essas bolsas estavam vagas e, portanto, recuperadas pelo órgão governamental responsável por gerenciá-las (ou seja, a CAPES). No entanto, um grande número dessas bolsas de estudo já havia sido alocado para estudantes no nível universitário. Muitos estudantes planejaram seus estudos de pós-graduação e - em um país tão extenso quanto o Brasil - se mudaram para outras cidades para iniciar seu curso apenas para perceber que suas bolsas de estudo não estavam mais disponíveis.

 

Leia o artigo todo em: https://natureecoevocommunity.nature.com/users/194366-juliano-morimoto/posts/48774-brazil-towards-uneducated-country

Última atualização em Ter, 14 de Maio de 2019 16:19