Pátria Educadora: diretor da Faculdade de Educação da Unicamp comenta o documento (vídeo)

Ter, 21 de Julho de 2015 09:22 Rodrigo Travitzki Políticas públicas de educação
Imprimir

Entrevista com o prof. Luiz Carlos de Freitas sobre o documento "Pátria Educadora", elaborado pela Secretaria de Assuntos Estratégicos (Mangabeira Unger).

Para Freitas, o documento ignora boa parte das discussões que as entidades educacionais brasileiras fizeram nos últimos anos. Discussões das quais o MEC fez parte, inclusive, e que depois de muito tempo e esforço, geraram alguns documentos que, supostamente, serviriam como referência para as formulações das políticas educacionais.

Além disso, não há referências científicas no documento "Pátria Educadora", o que é perigoso na medida em que as políticas públicas não podem se basear na intuição dos gestores, elas precisam ter base nas evidências produzidas pelos pesquisadores.

O prof. também aponta, de forma mais ampla, certas forças econômicas globais que fizeram com a educação se tornasse a pauta do dia em praticamente todos os países. No Brasil, acrescenta, o aumento recente do salário não foi acompanhado por um aumento da produtividade, devido a limitações no sistema educativo.

Veja a entrevista.

Veja também o documento Pátria Educadora

Veja outras críticas ao documento: uma Nota de Repúdio do FNE e um texto com a posição oficial do Cenpeq.

Última atualização em Qui, 13 de Agosto de 2015 15:22