Governo de São Paulo não quer compartilhar informações sobre as escolas

Sex, 08 de Março de 2013 17:13 Rodrigo Travitzki Políticas públicas de educação
Imprimir

No mundo todo, as escolas estão sendo chamadas para prestar contas de seus serviços e diversos estudos internacionais mostram que a transparência das informações sobre as escolas tendem a auxiliar na melhoria da qualidade do ensino. É seguindo essa onda que os governos no Brasil resolveram começar a publicar resultados das escolas nos exames, como o ENEM. Mas a transparência de informações não pode ficar restrita aos resultados em exames, até porque eles não dizem muito sobre como melhorar a escola. Na contramão das políticas de educação no mundo, o governo paulista parece preocupado em proteger informações importantes sobre as escolas, que poderiam ajudar bastante na melhoria da qualidade de ensino. O artigo "Os arquivos confidenciais das escolas", de Helena Singer, discute bem esta questão.

"Nesta semana, o governador de São Paulo vetou projeto de lei que propunha abrir para a comunidade todas as informações sobre recursos e aplicações dos investimentos em cada estabelecimento público de ensino fundamental e médio. Segundo o texto, as escolas teriam que disponibilizar para a comunidade informações que vão desde os recursos recebidos, até a disponibilidade de laboratórios, bibliotecas, quadras e acessibilidade física, passando pelo número de professores e funcionários na ativa, a quantidade de alunos por turma, o conteúdo do projeto político pedagógico e o funcionamento de grêmios, Conselhos e Associações de Pais e Mestres."

Leia o artigo completo aqui: http://portal.aprendiz.uol.com.br/2013/03/04/os-arquivos-confidenciais-das-escolas/