Precisamos proteger a ideia da educação pública, diz Jorge Larrosa

Sex, 09 de Outubro de 2015 11:15 Rodrigo Travitzki Em busca da democracia
Imprimir

O professor da Universidade de Barcelona Jorge Larrosa é um autor conhecido entre educadores brasileiros. Nesta entrevista, ele fala sobre a antiga ideia de educação pública com escola igual para todos, em contraste com o estado atual das coisas, onde o público vem dando lugar ao privado. Não se trata de opor o estatal ao particular, o governo ao indivíduo. É mais complicado que isso.

O interesse público, diz ele, não é simplesmente um equilíbrio dos interesses particulares, mas algo de todos. Assim é (idealmente) na democracia e assim deve ser na educação, acredita. Mesmo a escola particular, por ser escola, presta um serviço público, é de interesse público.

"A escola entrou nessa lógica da competitividade. E se entra nessa lógica da competitividade, perde a ideia da igualdade" J. Larrosa

Larrosa também faz críticas ao uso das novas tecnologias na sala de aula, que “brilham muito” mas não se sabe ao certo o que produzem. Fala sobre a ideia de educação em Hannah Arendt, fundada em duas bases: o amor à infância e a renovação do mundo.

O vídeo vale também pelas excelentes intervenções do entrevistador Ederson Granetto, da Univesp TV. Em certo momento, ele pega Larrosa “no flagra”, quando o educador tentava maquiar o pessimismo implícito no que dizia. Mas o entrevistador ainda consegue recuperar um pouco de esperança em Larrosa.

"O professor talvez seja o único militante da ideia de educação. Por isso eu acredito cada vez mais que a educação não é algo que já esteja nas instituições feitas para isso, mas é algo que o professor faz. […] É um acontecimento, é algo que se fabrica a cada dia." J. Larrosa


Se quiser conhecer a produção de Larrosa, pode começar pelo texto Notas sobre a experiência e o saber de experiência

 

Última atualização em Sex, 09 de Outubro de 2015 11:57