Por que estudar biologia?

Imprimir

No fundo, a resposta já está dada no artigo Por que estudar?, ao menos nas entrelinhas. No entanto, talvez seja bom alguns argumentos mais concretos para demonstrar a nossa ignorância sobre os misteriosos caminhos da vida.

Vejamos um pouco do que se diz hoje em dia, nos jornais e revistas. Você é capaz de compreender estas notícias? É capaz de emitir uma opinião razoavelmente sólida a respeito delas?

Os assuntos tratados nestes escritos estão entre os mais importantes e polêmicos relacionados à biologia dos nossos tempos.

- Impacto ambiental, desenvolvimento econômico e relações políticas

* Biotecnologia, genética e bioética

* Saúde e qualidade de vida

* A mercantilização da vida

* O corpo, o cérebro e a consciência

Isso sem falar de questões recentes, como aquecimento global e efeito estufa, anorexia, a gripe aviária, a transposição do rio São Francisco, novas hidrelétricas brasileiras, biodiesel, mãos mecânicas “movidas pelo pensamento”, soja transgênica, e por aí vai...
Reportagens curiosas

------------------------------------------------------------------------

Reportagem 1

Americanos mudam sexualidade de ovelha "gay"

Cientistas americanos estão conduzindo experimentos para mudar a sexualidade de uma ovelha "gay". A técnica ajusta o balanço hormonal no cérebro de carneiros homossexuais para que eles sejam mais inclinados a cruzar com ovelhas. O programa está gerando polêmica, pois os críticos temem que ele possa ser aplicado em seres humanos.

De acordo com informações do jornal britânico Times, especialistas afirmam que mulheres grávidas poderiam participar de um tratamento para reduzir ou eliminar a chance de seus descendentes serem homossexuais. Segundo eles, na teoria, o procedimento de "balanceamento" em humanos poderia ser simples como os suplementos hormonais para grávidas, bastando colar na pele um adesivo parecido com os de nicotina.

A pesquisa, realizada pela Universidade Estadual de Oregan, na cidade de Corvallis, e pela Universidade de Saúde e Ciência de Oregan, em Portland, está causando polêmica. Cientistas e ativistas homossexuais protestam e afirmam que o projeto deve ser abandonado. Os pesquisadores argumentam que o trabalho é válido.

Um em cada dez carneiros prefere outro carneiro a cruzar com uma ovelha, reduzindo o seu valor em uma fazenda, diz o estudo. Segundo os especialistas, o objetivo não é "curar" a homossexualidade.

Retirado de: http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI1328208-EI1827,00.html

----------------------------------------------------------------------------------------

Reportagem 2

Um gene judeu da inteligência

“Pesquisadores da Universidade de Utah dizem que os judeus asquenazes - grupo étnico que inclui Einstein, Freud e Mahler - são mais inteligentes por causa de uma mutação genética

Embora o Holocausto tenha sido provocado por suposições de que os judeus eram geneticamente inferiores, um novo estudo publicado pelo Journal of Biosocial Science sustenta a noção oposta: os judeus asquenazes podem ser geneticamente predispostos a uma inteligência maior.

Técnicas avançadas de biologia permitem que hoje pesquisadores identifiquem as funções de genes específicos. Gregory Cochran, polêmico biólogo evolucionário que em 1992 propôs que a homossexualidade é causada por uma doença infecciosa, uniu-se aos antropólogos Henry Harpending e Jason Hardy, da Universidade de Utah. Eles dizem que os judeus asquenazes - grupo étnico que inclui o físico Albert Einstein, o psicanalista Sigmund Freud e o compositor Gustav Mahler - são mais inteligentes por causa de uma mutação genética.

"As pessoas gostariam que todos os grupos humanos fossem exatamente iguais", diz Cochran, "mas eles não são." O estudo alega que a inteligência evoluiu nessa população porque, historicamente, os asquenazes adotaram atividades, como as finanças e o comércio, que demandam cognição, o que teria rendido prosperidade e mais sucesso na reprodução.

O "gene do QI" teria sido transmitido de geração em geração. Os pesquisadores também notaram que distúrbios genéticos comuns no grupo, como as doenças de Tay-Sachs e Gaucher, resultam dos níveis elevados de uma substância química que promove o desenvolvimento neuronal. Após avaliar a propagação de genes mutantes e correlacioná-los às pontuações de QI, os pesquisadores sustentam que as doenças genéticas estão ligadas à propensão a maior inteligência. A vantagem para a sobrevivência conferida por QIs mais elevados no grupo também acarreta sacrifícios individuais oriundos das doenças.

Muitos cientistas lembram que fatores culturais têm papel essencial no desenvolvimento da inteligência. Mas Cochran está convencido de que ao longo das gerações o ambiente de uma pessoa é insignificante comparado a fatores biológicos.”


http://www2.uol.com.br/vivermente/conteudo/noticia/noticia_35.html

--------------------------------------------------------------------------------------


Reportagem 3

Alto estresse diário reduz risco de câncer de mama, diz estudo


Altos níveis de estresse podem diminuir os riscos de câncer de mama em mulheres, segundo cientistas da Dinamarca.

Os resultados desse estudo contradizem pesquisas anteriores indicando que o estresse dobra esse tipo de risco.

De acordo com os pesquisadores dinamarqueses, doses regulares de estresse podem fazer bem, mas um surto agudo e curto de estresse por causa de um evento na vida, como luto, faz mal.

A pesquisa foi publicada no British Medical Journal e é baseada em pesquisa feita com mais de 7 mil mulheres na Dinamarca, entre 1981 e 1983.

Segundo especialistas, a pesquisa não esclareceu se o estresse é ou não um fator importante entre os riscos de câncer de mama.”


Trecho retirado de:

www.estadao.com.br/ciencia/noticias/2005/set/12/79.htm


-----------------------------------------------------------------------------------

Reportagem 4

Aproximações à biopolítica

“... A mercantilização da vida fica clara quando se percebe que às prateleiras dos mercados agregaram-se medicamentos, sementes transgênicas, pneus, armas e instrumentos médicos. Não há diferença entre eles, são todos produtos de um mercado controlado por corporações multinacionais e multisetoriais.

Como exemplo, pode-se citar a Monsanto, corporação multinacional que fabrica a semente transgênica Terminator, fabrica também a gonadotrofina coriônica humana recombinante, um hormônio manipulado geneticamente (transgênico), subministrado às mulheres que participam de programas de fertilização in vitro para dar maior garantia de sucesso ao procedimento, e cujo objetivo é aumentar a quantidade de óvulos produzidos. O que têm em comum a Terminator e o hormônio? Ambas confluem no campo da vida que foi tecnologicamente manipulada, colocando em risco as futuras gerações. Uma é estéril, não colabora com o agricultor para a geração do grão, para a colheita do ano seguinte, além de colocar em risco a alimentação da população. A outra põe em perigo a integridade do futuro bebê, uma vez que seus efeitos são desconhecidos.

Corporações como Novartis (empresa farmacêutica e de biotecnologia agrícola), Astrazeneca (farmacêutica e serviços clínicos associados com tecnologias patenteadas) e Bayer (bio e nanotecnologia) expressam a tendência à fusão intersetorial (indústria de sementes, agroquímica, farmacêutica, informática, biomedicina, alimentos, genômica, farmacogenética, nanotecnologia, medicina reprodutiva e saúde) e estão preparadas para produzir, também, armas, animais e seres humanos clonados e órgãos artificiais, entre muitos outros exemplos que poderiam ser citados.

Alguns cientistas ou estudiosos liberais dirão que a dominação da natureza e a privatização da vida humana não são fatos novos na história da Humanidade. No entanto, entendemos que há um evento novo (embora este fato não seja reconhecido por todos), que é o momento em que a vida, a matéria orgânica, se transforma em matéria prima útil para a fabricação de produtos inexistentes anteriormente, desconhecendo-se a diferença entre o humano e não humano.”

Trecho retirado de:

http://agenciacartamaior.uol.com.br/agencia.asp?id=1578&coluna=boletim


-----------------------------------------------------------------------------------------------

Reportagem 5

Senso motor pode se enganar

“Vítimas de anosognosia têm dificuldade de reconhecer prejuízo de deficiência motora.

"Paralisado, eu? Doutor, do que está falando?" Quando um paciente vítima de derrame protesta, apesar da óbvia paralisia de algum membro, o diagnóstico quase sempre é anosognosia.

Essas vítimas não movem, ou o fazem com dificuldade, certos membros devido a lesão nos centros motores cerebrais - mas não têm consciência de sua deficiência. Se alguém as alerta sobre o fato, elas muitas vezes acham que não é o seu braço que está ali inerte, pendurado ao lado do corpo. A neuropsicóloga Anna Berti, da Universidade de Turim, estudou a origem neuronal da síndrome.Como já se sabe há tempos, ela surge em lesões no hemisfério cerebral direito.Este não apenas guia o lado esquerdo do corpo, mas também nossa percepção espacial.

Berti e seus colegas compararam o imageamento cerebral de 30 pacientes paralisados - 17 deles negavam qualquer incapacidade corporal. Suas lesões cerebrais muitas vezes se adicionavam àquelas de pacientes que sofriam "apenas" de distúrbios de atenção, mas atingiam mais intensamente as áreas pré-motoras. Essas áreas, acredita Berti, continuam gerando sinais motores subliminares que dão ao paciente a ilusão de um sistema motor em funcionamento. Por sorte, a anosognosia logo se dissipa: como se o cérebro percebesse sozinho que alguma coisa não está certa.”

http://www2.uol.com.br/vivermente/conteudo/noticia/noticia_45.html

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Reportagem 6

A pegada ecológica


(...) Avaliar até que ponto o nosso impacto já ultrapassou o limite é, portanto, essencial, pois só assim somos capazes avaliar se vivemos de forma sustentável. Isto não significa, claro, que se possa consumir e gastar mais ainda a capacidade disponível: pelo contrário, se queremos deixar espaço para as outras espécies e para os habitantes futuros, há que lhes reservar o máximo de espaço. Em todo o caso, a taxa de consumo de “capital natural” já é superior à sua taxa de reposição, pelo que não há qualquer desculpa para continuar com práticas agressivas ao ambiente.

E foi assim que nasceu o conceito de “Pegada Ecológica”. Criada por William Rees e Mathis Wackernagel, a Pegada Ecológica permite calcular a área de terreno produtivo necessária para sustentar o nosso estilo de vida. (em http://www.esb.ucp.pt/gea/myfiles/pegada/pegada.htm)

Caso você queira estimar sua pegada ecológica, vá até o portal: http://ecofoot.org/

----------------------------------------------------------------------------------------------------------

***


Depois de ler estas reportagens com atenção, podemos pensar: “bom, talvez eu precise conhecer um pouco melhor o mundo ao meu redor”. Ou, no mínimo dos mínimos, constatar: “é, a biologia estuda umas coisas bem esquisitas”. Sendo assim, tanto melhor. Agora podemos começar.





Esta coletânea de trechos foi feita para os alunos da 1a série do Ensino Médio do Colégio Equipe.


Fonte: Rodrigo Travitzki - blogdodigao.net

Última atualização em Ter, 01 de Setembro de 2009 23:28  


Na sua escola, o currículo de biologia é muito "pesado" e "cheio de palavras"?
 

Selecione uma palavra-chave

Artigos mais lidos desta categoria

Jogos didáticos de biologia

Material didático/ pedagógico
O site do centro de estudos do genoma humano (usp) disponibiliza ao público alguns jogos interessantes para se aprender / ensinar coisas relacionadas à biologia. Para facilitar a vida, colo os...(108933)

Como se faz um Relatório de Impacto Ambiental? (EIA-RIMA)

Material didático/ pedagógico
Antes de mais nada é importante saber do que estamos falando. Você sabe o que é impacto ambiental? O que é EIA/RIMA? É um estudo prévio do impacto ambiental de grandes projetos. É condição ...(86317)

Questões objetivas de ecologia

Material didático/ pedagógico
Coloco aqui alguns testes de múltipla escolha sobre ecologia. O objetivo de trabalharmos este tipo de questão, mais do que preparar para vestibular coisa e tal, é trabalharmos a objetividade. ...(77081)

O que é vida? Há uma definição precisa? Veja a resposta de pensadores importantes

Material didático/ pedagógico
O que é vida? Esta pergunta perdura desde a aurora das perguntas. É extremamente poderosa e ao mesmo tempo inútil. Com ela pode-se chegar mais próximo à natureza das coisas ou distanciar-se d...(60241)

O que é impacto ambiental?

Material didático/ pedagógico
O que é impacto ambiental? Algumas pessoas acham que o impacto ambiental refere-se só às coisas "naturais", mas não é bem assim. Segundo a legislação brasileira, impacto ambiental é: “qualqu...(51945)