Um outro mundo é possível? Os alunos buscam respostas

O Sistema de saúde Universal Gratuito - França, Reino Unido e Cuba

Imprimir

"A possibilidade de um mundo diferente está nas mãos do homem, portanto dele depende aceitar, corrigir, mudar e criar políticas que defendam uma sociedade menos decadente, e sim mais igualitária e justa. Os sistemas de saúde mencionados e analisados são uma pequena parte de uma utopia que se realiza cada dia no Canadá, Reino Unido, França e Cuba. Não podemos sonhar com um mundo diferente sem fazer nada para mudá-lo. Não basta o apoio de mil vozes quando nenhuma delas faz nada concreto pela causa que defende. A utopia que propomos é realizável com nosso esforço e o das futuras gerações, que devem compreender quanto é necessário sua força para impulsionar este projeto humano do qual somos parte."

Alunos:
Laura Cruz de Toledo
Aldo Cruces Newhall

O Sistema de Saúde Universal Gratuito (SSUG)

Eles vivem num mundo “para nós”, não “para mim”.
Nunca repararemos nada até que tenhamos essa questão bem aplicada”

Michael Moore, documentário “Sicko”

Visão geral

Atualmente, a implantação em alguns países de um sistema de saúde completamente gratuito contribui indiscutivelmente à criação de um novo conceito de igualdade social. Estes sistemas de atenção médica estão baseados na superação de diferenças sociais, sem a exigência de um pagamento anterior ou posterior. Estas taxas são um obstáculo sobre o direito humano fundamental ao cuidado médico geral, criando ao redor dele uma barreira de burocracia, dinheiro e interesses. Para aqueles que não são capazes de pagar simplesmente a oportunidade de atenção se vê reduzida a hospitais abarrotados pelo excesso de doentes, causado pelo sistema de saúde excludente e egoísta que predomina em todo o mundo. A sociedade de hoje, em sua maior parte perdeu todo rastro de solidariedade, e a importância do individuo prevalece sobre a importância da comunidade.

 

Local, duração, pessoas responsáveis e contato

Análise da implantação deste sistema de saúde em países como: França, Canadá, Reino Unido e Cuba, durante mais de cinquenta anos é responsabilidade dos governos que o acolheram e daqueles que o mantiveram. Resultados semelhantes desta política democrática, como exemplo de igualdade, em governos com ideologias diferentes.

 

Em relação ao grupo: Qual é a utopia de vocês?

A utopia do grupo neste trabalho é a generalização de um Sistema de Saúde Universal Gratuito, como um elemento corretor da atual carência médica e da injustiça social gerada pelos impedimentos monetários. O acesso ao serviço médico não deveria depender de um pagamento, não deveria ser a razão para criar dívidas que pesam durante anos sobre um individuo desfavorecido só por haver procurado uma solução para seu padecimento. Parece que ninguém repara que um seguro social, antes opcional, agora é quase obrigatório. É inconcebível ver como a saúde se converte num negócio, com o qual tantos se beneficiam e que, de certa forma, coloca um preço sobre a vida de cada um de nós. Contrapondo esta situação, o sistema gratuito defende, pelo menos em relação à saúde, a igualdade de direitos numa sociedade, contribuindo para que o desenvolvimento da mesma seja mais justo.

 

Por que a prática escolhida foi considerada como uma maneira de nos aproximarmos desta utopia?

Os Estados Unidos,que possui hoje uma população de 310 milhões de pessoas, das quais  milhões não tem nenhum acesso a serviço médico simplesmente porque não têm o dinheiro suficiente para custear sua própria saúde. Milhares de pessoas morrem todo o ano porque não conseguem pagar as taxas médicas, os preços para uma consulta simples, ou porque as “milagrosas” empresas de seguros os endividaram até deixarem-nos enroscados. Uma estimativa realizada no ano de 2009, culpou a falta de seguro médico no EUA a causa de aproximadamente 45.000 mortes. Neste aspecto, a imagem que nos vendem de uma sociedade perfeita parece não passar uma imagem artificial que esconde graves erros que afetam a população norte americana.

Os problemas relacionados a recursos saúde não são exclusivos dos norte americanos, aqui no Brasil a realidade não é muito diferente. Qualquer pessoa pode chegar a um hospital com um padecimento de urgência e ter seu socorro negado caso a burocracia não abra suas portas, esta pessoa corre o alto risco de morrer e este é um problema muito recorrente. Os médicos já não olham os pacientes, primeiro olham os papeis que autorizam seu atendimento. Em que realidade a vida de uma pessoa deve depender exclusivamente da sua capacidade de bancar um tratamento? Seria justo que um homem fosse condenado a morte por não conseguir bancar seu tratamento mesmo havendo quem o tratasse?

Como esta prática se iniciou? Breve histórico

O NHs (National Health Service) foi implantado no ano 1948 no Reino Unido, baseado no pagamento de impostos específicos ao Estado criando uma estrutura econômica para o suporte ao NHs. Como produto deste sistema, se organizaram os serviços médicos especializados que foram aplicados desde o princípio da política de free of charge no delivery point, na qual não existe pagamento algum durante todo o tratamento médico, além disso, os remédios receitados, indiferentemente de sua quantidade, tipo e uso, tem um preço único de 6,65 libras, exceptuando deste pagamento a menores de 16 anos e maiores de 60.

A França é mais um exemplo da possibilidade de implementar um sistema de saúde gratuito num país capitalista. Os franceses podem afirmar, com total orgulho de como seu sistema de saúde e de previdência social é uma mostra da verdadeira democracia. Este sistema foi instaurado em 1945 como consequência da Segunda Guerra Mundial, igual que no Reino Unido, e é autofinanciado por impostos, sendo estes variáveis dependo do ingresso do cidadão. Se o individuo não é capaz de pagar seus impostos não é excluído da atenção médica, sua contribuição não é uma condição para seu correto atendimento médico. O SSUG francês cobre o 99,9% da população francesa.

Cuba, classificado como país “tercermundista”, é capaz desde o ano 1959 de manter um sistema médico completamente gratuito. O mesmo marco revolucionário que caracterizou esta etapa promoveu a construção de um sistema universal de saúde sem precisar dos impostos do povo (o povo cubano não paga impostos de nenhum tipo). Este sistema de saúde promove o cuidado preventivo, a atenção especializada e o atendimento do ser humano como premissa fundamental. O preço dos medicamentos é completamente acessível, na maioria das vezes realmente insignificante. Cuba, desenvolveu o SSUG até o ponto de poder brindar atenção médicas a nações estrangeiras, dentro e fora das fronteiras cubanas e ser considerada um polo da medicina mundial. Esta estrutura cubana, não é um modelo facilmente aplicável no mundo unipolar, pois se precisou de todo um processo para chegar a esta situação, processo correspondente a outra utopia.

Fonte de recursos materiais e humanos.

Em todos os casos o Estado joga um papel fundamental pois financia este sistema de saude, baseando-se nos impostos anuais da população (exceptuando Cuba). Os impostos são a contribução popular a este projeto governamental que melhora e define a qualidade de vida do país. No casso de Cuba, o Estado assume toda a responsabilidade sobre o correto desenvolvimento e funcionamento de este sistema, como monstra de sua capacidade. Este compromisso do Estado com o povo cubano é um logro, que sobre as dificuldades, é preciso manter.

Resultados obtidos até agora (segundo as pessoas entrevistadas)

Se você tá doente, você vai no hospital e eles lhe darão o que você precisa. Não depende de sua posição, depende do que você precisa, é uma questão de solidariedade. As pessoas que estão bem de saúde pagam pelas que estão mal. O pagamento é de acordo com o que você ganha, e recebes de acordo com o que você precisa.”

Doctor Jacques Milliez,
Chefe de Obstetrícia do St. Antoine Hospital, França

A aplicação do SSUG nestes países significou uma mudança radical dentro do atendimento médico (mudança que as estadísticas demonstram), ademais de criar uma forma de pensamento em conjunto, que se destaca entre o individualismo generalizado dos outros países. Para manter este sistema é preciso sustentá-lo, para isso a contribuição de cada cidadão é fundamental pois dela pode depender outra pessoa. Constitui um grande processo de integração como nação, que desenvolve não só uma consciência colectiva de alguma forma, sino que também mostra que como parte da sociedade, se joga um papel, as vezes não muito claro, porem decisivo para outros. Definitivamente o Sistema de Saúde Universal Gratuito marca uma diferença entre um antes o um depois no caminho da grande utopia social de um mundo melhor.

Dificuldades encontradas até agora (segundo o analise da aplicação deste projeto em diferentes países).

A maior dificuldade de este sistema se encontra precisamente que para ser posta em funcionamento, precisa-se criar primeiro uma consciência social, não só entre a população, sino entre aqueles que “levam a responsabilidade de dirigir” um país sobre suas costas, para que em algum momento reparem como a maior parte do povo sofre de doenças que podem ser prevenidas, e portanto curáveis. O egoísmo individual, presente em todas as esferas da sociedade capitalista, contribui a desenvolver a preocupação por si mesmo, o resto do mundo importa realmente pouco. A solidariedade como um valor inerente dentro do ser social em lugares como Canadá, França, Reino Unido e Cuba, é uma realidade isolada nestos países que demonstram, salvando as diferenças, como o direito à saúde é o mesmo que o direito à vida. Pretender que os países vão a adotar este sistema automaticamente depois de um esclarecimento repentino, leva esta utopia a seus limites. Só o desenvolvimento do cidadão como parte da sociedade e não como algo que a supera é fundamental, para depois, com o tempo e (esperemos) pensamentos menos conservadores, seria possível impor um sistema de saúde universal gratuito que contribua a eliminar a injustiça social.

Análise e discussão dos aspectos “positivos” e “negativos” (do ponto de vista do grupo) desta prática

Os aspectos positivos de um sistema de saúde gratuito é a igualdade na área da saúde, que serve como modelo para outras áreas da sociedade, o desenvolvimento de uma consciência solidária e a erradicação de um egoísmo social. O principal e na realidade único problema ou, aspecto negativo, encontrado pelo grupo esta na implantação estrutural deste sistema, não é fácil decretar de uma hora para outra um novo sistema de saúde, e por isso para que ele seja acessível seria necessário tempo, paciência e dedicação dos governantes.

 

Que conceitos, conhecimentos e valores do ensino médio foram importantes para a realização do trabalho?

Como os dois integrantes do grupo participam do projeto social “Chá de cadeira” que atua no hospital público Menino Jesus,temos consciência da dificuldade de organização e dificuldades estruturais do setor de saúde. As aulas de geografia que enfatizam um geografia mais social também foram determinantes para a escolha deste tema para o trabalho.

Um outro mundo é possível?

A possibilidade de um mundo diferente está nas mãos do homem, portanto dele depende aceitar, corrigir, mudar e criar políticas que defendam uma sociedade menos decadente, e sim mais igualitária e justa. Os sistemas de saúde mencionados e analisados são uma pequena parte de uma utopia que se realiza cada dia no Canadá, Reino Unido, França e Cuba. Não podemos sonhar com um mundo diferente sem fazer nada para mudá-lo. Não basta o apoio de mil vozes quando nenhuma delas faz nada concreto pela causa que defende. A utopia que propomos é realizável com nosso esforço e o das futuras gerações, que devem compreender quanto é necessário sua força para impulsionar este projeto humano do qual somos parte.

 

Fontes de pesquisa

Documentário Sicko, Michael Moore, 2007

Journal Oficial da Repúblida de Cuba “Granma”

Le Monde Diplomatique, jornal francês

Última atualização em Qui, 23 de Dezembro de 2010 11:06  


Para que serve a educação?
 

Selecione uma palavra-chave

Artigos mais lidos desta categoria

Como as interações ecológicas do homem são permeadas pela sua cultura?

Trabalhos Escolares
Com o aumento da população humana que vem ocorrendo pelo menos nos últimos 3 mil anos, o número de parasitas como carrapatos e bichos de pé, assim como o de muitos vírus e bactérias, sendo que...(22756)

As clínicas de aborto na Holanda

Utopia e cotidiano: buscando práticas idealistas
No século XX alguns países legalizaram o aborto, como a Holanda, a URSS e a Suécia. A Alemanha nazista também legalizou o aborto para as mulheres que eram consideradas "hereditariamente doente...(18462)

Melancia sem sementes: Para quê e para quem?

Trabalhos Escolares
Nessa lógica é que encontramos um paradoxo entre o que a ciência se proporia em sua essência, e a maneira pela qual a ciência e a tecnologia foiram apropriadas por aqueles que concentram em su...(16171)

A Biologia das Embalagens - análise da embalagem de Sucrilhos Kellogg’s

Trabalhos Escolares
Os valores nutricionais tornam-se um artifício cientifico para atrair mais consumidores ao produto em questão. As embalagens não comportam mais o objetivo inicial de comunicar informações nutr...(13049)

Escola da Ponte

Utopia e cotidiano: buscando práticas idealistas
1-Informações gerais: Este trabalho visa a análise da atuação da Escola da Ponte, localizada em Vila das Aves, uma cidade de Portugal. A instituição baseia-se numa proposta diferenciada de...(10977)