utopia

O trabalho realmente dignifica o homem?
Polêmicas
Sáb, 01 de Maio de 2010 21:19, Escrito por Rodrigo Travitzki

Dia do trabalho. O que estamos comemorando mesmo? A expulsão do paraíso para comer o pão com o suor do próprio rosto? A possibilidade de transformar o mundo com nossas próprias mãos? O que é trabalho? Ele é bom? É sempre bom? Quanto mais melhor? Trabalhar até o limite é uma forma de aprimorar o corpo e o espírito?

Esta é uma pergunta que diz respeito também ao professor. Quanto mais lições melhor? Quanto mais questões melhor? Qual é o limite disso? Os alunos têm algum direito à preguiça?

Pois bem, estas são questões complicadas. Para contribuir com a discussão, selecionei alguns trechos do clássico manifesto "O Direito à Preguiça" (1880) do francês Paul Lafargue. Veja abaixo.

Leia mais...
Utopias: socialismo e educacionismo - Cristovam Buarque
Pensando a longo prazo
Sex, 12 de Fevereiro de 2010 12:55, Escrito por Rodrigo Travitzki

educacao-progresso

Cristovam Buarque: “Como a bola é redonda para todos e os pobres formam a maior parte da população, são eles que chegam ao topo da carreira futebolística. Mas, para entrar em uma universidade, a regra do sucesso está na escola de base onde se estudou. E as escolas não são redondas para todos. (...) O educacionismo quer fazer com que as escolas sejam igualmente boas para todos, como a bola é redonda para todos."

"Com os pobres excluídos de escolaridade de qualidade, os filhos das classes altas não necessitam estudar muito, porque não encontram concorrência. (...) Enquanto enganam os pobres com a idéia de que a revolução está na economia, os ricos mantém os privilégios para seus filhos em escolas que, mesmo não sendo excelentes e não obrigando ao estudo, são melhores do que as escolas dos filhos dos pobres.”

Leia mais...
OSESP: uma Orquestra em Direção a uma Utopia Cultural
Utopia e cotidiano: buscando práticas idealistas
Sex, 27 de Novembro de 2009 23:17, Escrito por Ivan Dantas

John Neschling assume a orquestra com o plano de torná-la uma das melhores da América latina. Na época ela não tinha nem sede e ensaiava em um restaurante, os músicos, de baixo nível em sua maioria, eram mal pagos e estavam, desde a morte do Maestro Eleazar, se auto gerindo. John Neschling, como bom político que é, consegue verba enorme para seu projeto, contratando músicos estrangeiros(hoje, mais da metade dos músicos são de fora) e construindo uma sala nos níveis mais altos internacionais: a Sala São Paulo. (...)

A atividade é uma maneira de se caminhar rumo a esta utopia por causa de seus projetos de maior democratização da música clássica, como, por exemplo, pelos ingressos por preços baixíssimo (cerca de dois reais) para concertos majoritariamente matutinos, e pela iniciativa do ‘Ingresso da hora’. Esta propõe a dez minutos do início do concerto, os ingressos que sobrarem por dez reais, independentemente do lugar. Trata-se de uma boa orquestra com bons estudantes admiráveis e o público no geral tem contato com ela, como na virada cultural.

Leia mais...
O que move o educador? Imagine um país bem educado...
Por que educar?
Sex, 06 de Fevereiro de 2009 00:53, Escrito por Rodrigo Travitzki

O que move o educador? A necessidade, a competência, os alunos, os ideais. E no Brasil, especialmente a imaginação.

Se o Brasil já é um país tão admirável, imagine quando todos tiverem uma boa escola. Imagine um país onde você não tem medo de andar na rua e gosta de conversar com o faxineiro sobre política. Imagine um país onde as pessoas exalam o sentimento de coletividade diariamente, não apenas no natal ou carnaval.

Nada muito idealizado, claro, se não a imaginação acaba nos afastando da realidade.
Leia mais...
Chegaremos ao "bom capitalismo" ou precisaremos inventar outra coisa?
Pensando a longo prazo
Qua, 04 de Fevereiro de 2009 11:50, Escrito por Rodrigo Travitzki

Uma pergunta ligada às idéias do filósofo Slavoj Žižek, que foi no Roda Viva esta semana.

alt

Selecionei abaixo 3 trechos de um artigo que ele escreveu na folha, que podem nos ajudar a pensar a utopia de uma forma não ingênua.

Leia mais...
Ensaiando passos de uma Utopia libertadora - por Alder Calado
Pensando a longo prazo
Sex, 23 de Janeiro de 2009 00:00, Escrito por Rodrigo Travitzki

Colo abaixo um texto que parece interessante para refletirmos sobre novas formas de planejamento educacional a longo prazo, assim como para o trabalho escolar "Utopia e cotidiano".


ENSAIANDO PASSOS DE UMA UTOPIA LIBERTADORA:
o cotidiano como oficina de tecelagem

por Alder Júlio Ferreira Calado

No ambiente da escola/universidade - O fato de predominarem largamente as incoerências e contradições no cotidiano escolar/universitário tende a agravar o desencanto e a fazer-nos esquecer cenas impregnadas de atitudes de uma densa carga utópica libertadora.

Leia mais...
Utopia e cotidiano: um outro mundo é realmente possível?
Dom, 04 de Janeiro de 2009 23:37, Escrito por Rodrigo Travitzki

Um outro mundo é realmente possível?

Este é um espaço dedicado à divulgação e discussão de atividades (iniciativas, projetos, empreendimentos, instituições) que estão acontecendo agora e que fazem do mundo real algo mais próximo de um mundo utópico desejado. Como podemos agir de forma mais coerente com nossas idéias? Quem já está fazendo isto? Dá certo mesmo? O que precisa melhorar?
Estamos aqui socializando um trabalho escolar do final do ensino médio (mas você pode contribuir independente da idade, credo ou escolaridade). A importância de se discutir esse tema neste momento escolar deve-se, dentre outros motivos, à necessidade de estabelecermos pontes entre os valores humanos e democráticos que aprendemos na escola (ou tentamos aprender) com o mundo profissional - hoje chamado de mercado de trabalho.
Leia mais...