pós modernidade

Bauman e a educação atual
Princípios filosóficos
Ter, 10 de Novembro de 2015 13:11, Escrito por Vinicius Siqueira de Lima

Em sua extensa carreira, Zygmunt Bauman chegou a abordar diversas esferas da vida em sociedade que a sociologia poderia se meter, inclusive a educação na atualidade. Em relação à educação, althá duas visões sobre a escola e o sistema de ensino que podem ser vistas em seus livros. As informações são da Carta Capital.

Segundo sua obra “Legisladores e Intérpretes: sobre a modernidade, a pós-modernidade e os intelectuais”, a escola seria uma fábrica de ordem. Com uma perspectiva claramente influenciada por Michel Foucault, Bauman pensa o local onde o ensino é praticado como o momento da reprodução da ordem vigente. Ou seja, uma tentativa de manter o mundo de acordo com os planejamentos do Estado.

Leia mais...
Foucault: escola ou prisão?
Filósofos
Ter, 08 de Setembro de 2015 11:48, Escrito por Vinicius Siqueira

alt

O princípio da instituição prisional, em teoria, é o reestabelecimento do preso. No entanto, esta relação reflexiva, dita pelo próprio discurso do enclausuramento, não é efetiva, não é real. Sabemos, a partir de Michel Foucault, que o funcionamento da prisão cria delinquentes, categoria própria da modernidade, indivíduo preso ao crime e condenado a ser criminoso para sempre – portanto, condenado a ser útil para o Estado eternamente.

É na prisão que a sociedade disciplinar mostra sua última arma: ou o indivíduo se corrige lá, ou passa o resto de sua vida dentro da instituição. O preso é o alvo perfeito da disciplina, é lá que o indivíduo é isolado, forçado a trabalhar e controlado.

Leia mais...
Utopias: socialismo e educacionismo - Cristovam Buarque
Pensando a longo prazo
Sex, 12 de Fevereiro de 2010 12:55, Escrito por Rodrigo Travitzki

educacao-progresso

Cristovam Buarque: “Como a bola é redonda para todos e os pobres formam a maior parte da população, são eles que chegam ao topo da carreira futebolística. Mas, para entrar em uma universidade, a regra do sucesso está na escola de base onde se estudou. E as escolas não são redondas para todos. (...) O educacionismo quer fazer com que as escolas sejam igualmente boas para todos, como a bola é redonda para todos."

"Com os pobres excluídos de escolaridade de qualidade, os filhos das classes altas não necessitam estudar muito, porque não encontram concorrência. (...) Enquanto enganam os pobres com a idéia de que a revolução está na economia, os ricos mantém os privilégios para seus filhos em escolas que, mesmo não sendo excelentes e não obrigando ao estudo, são melhores do que as escolas dos filhos dos pobres.”

Leia mais...