economia solidária

O que é economia solidária?
Em busca da democracia
Sex, 19 de Setembro de 2008 11:42, Escrito por Rodrigo Travitzki

Dizer que o capitalismo cria desigualdades já virou frase sem efeito. É inviável, contraditório, injusto, tudo isso, mas no fundo, quem tem capital gosta do capitalismo. E mesmo quem não tem também acaba gostando, tal é o poder sedutor do dinheiro (seja em forma real ou "platônica"). Que opções nos resta? Uma delas é a economia solidária.

Leia mais...
Educar o consumo
Cidadania
Dom, 04 de Maio de 2008 19:07, Escrito por Rodrigo Travitzki

Muito se diz sobre a importância da educação para o capitalismo. Em geral, esta importância se restringe à "produção de mão de obra qualificada". Ou seja, a educação seria responsável por moldar as engrenagens do sistema para que ele funcione bem.

Tudo bem. Isto é de fato importante, pois se o sistema não funcionar nós teremos problemas... Mas seria só essa a função de uma "educação capitalista"?

Será que as pessoas não precisam aprender a consumir, assim como aprendem física e geografia?

Como a sua escola trabalha, por exemplo, a questão do consumo ético? Você já pensou sobre isso?

Se não, aproveite para ler o texto CONSUMO ÉTICO E SOLIDÁRIO, do qual extraí o trecho que coloco abaixo:

"A sociedade capitalista contemporânea tem como característica o CONSUMISMO, que, além de provocar exclusão social, produz impactos sobre o ambiente natural e consome os recursos naturais do Planeta, colocando em risco a sustentabilidade das gerações presentes e futuras.

Conforme dados do relatório do Programa de Desenvolvimento Humano da ONU intitulado Consumo para o Desenvolvimento Humano, enquanto os 20% mais ricos da população mundial são responsáveis por 86% do total de gastos em consumo privado, os 20% mais pobres respondem apenas por 1,3%. Conforme o documento, "bem mais de um bilhão de pessoas estão privadas de satisfazer suas necessidades básicas de consumo".

O mito do consumo é posto como sinônimo de felicidade e bem estar, meta prioritária do crescimento e do processo civilizatório, com o pensamento de que o prestígio social depende da sua capacidade de gastar, consumir e acumular bens, ainda que supérfluos. A mídia cria modas, modismos e necessidades desnecessárias."

No mesmo site, do Fórum Brasileiro de Economia solidária, encontramos um farejador de empreendimentos solidários, que você pode usar para encontrar oções de consumo mais consciente que estejam próximas da sua cidade.