democratização do ensino

UNESCO: educação para todos
Utopia e cotidiano: buscando práticas idealistas
Dom, 11 de Agosto de 2013 20:46, Escrito por Talles Rhoden

A UNESCO é um organismo especializado do sistema das Nações Unidas. A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) fundou-se a 16 de Novembro de 1945 com o objecivo de contribuir para a paz e segurança no mundo mediante a educação, a ciência, a cultura e as comunicações.

Leia mais...
Ação Educativa
Utopia e cotidiano: buscando práticas idealistas
Sex, 25 de Novembro de 2011 17:15, Escrito por Eloi e João Pedro

1- Informações gerais

A Organização Não Governamental (ONG) Ação Educativa tem como objetivo “promover os direitos educativos e da juventude, tendo em vista a justiça social, a democracia participativa e o desenvolvimento sustentável no Brasil”. (Retirado do site oficial, www.acaoeducativa.org).  Eles atuam através de cinco programas: Educação de Jovens e Adultos, Ação na Escola, Observatório da Educação, ação na justiça e Pesquisa e Monitoramento de Políticas. A sede da ONG é na Rua General Jardim, 660, em São Paulo. Os locais de atuação são, além da própria sede aonde são feitos trabalhos mais voltados para as áreas administrativas e jurídicas, além de algumas atividades educacionais e culturais, outras instituições dentro da cidade de São Paulo, como escolas e comunidades.

Leia mais...
É justo os pais poderem escolher livremente a escola (pública) dos filhos?
Polêmicas
Qua, 24 de Agosto de 2011 00:13, Escrito por Rodrigo Travitzki

Uma interessante questão levantada por Xavier Bonal, da Universidade Autônoma de Barcelona. Ele se refere às escolas totalmente ou parcialmente financiadas pelo estado, e analisa a experiência recente da Espanha.

Se a liberdade é um dos fundamentos da democracia, talvez a justiça seja algo ainda mais fundamental. Em que medida estes dois princípios se distanciam na questão do ensino público?

Leia mais...
Bolsa Família eleva aprovação escolar, diz MEC
Políticas públicas de educação
Qui, 13 de Maio de 2010 14:58, Escrito por Rodrigo Travitzki

DEU NA AGÊNCIA ESTADO:

"Com um menor grau de abandono dos estudos, os alunos do Bolsa-Família tiveram desempenho na educação semelhante à média dos estudantes matriculados nas classes de ensino fundamental das escolas públicas do País. No ensino médio, os beneficiários do programa de transferência de renda registraram índices de aprovação maiores.

Os resultados aparecem no cruzamento feito pelo Ministério da Educação (MEC) do desempenho dos alunos do Bolsa-Família com dados do censo escolar. Trata-se do primeiro retrato do impacto do programa nos resultados da educação. Até então, o acompanhamento se limitava ao registro de frequência às aulas, condição para a permanência das famílias no programa.

Leia mais...
Utopias: socialismo e educacionismo - Cristovam Buarque
Pensando a longo prazo
Sex, 12 de Fevereiro de 2010 12:55, Escrito por Rodrigo Travitzki

educacao-progresso

Cristovam Buarque: “Como a bola é redonda para todos e os pobres formam a maior parte da população, são eles que chegam ao topo da carreira futebolística. Mas, para entrar em uma universidade, a regra do sucesso está na escola de base onde se estudou. E as escolas não são redondas para todos. (...) O educacionismo quer fazer com que as escolas sejam igualmente boas para todos, como a bola é redonda para todos."

"Com os pobres excluídos de escolaridade de qualidade, os filhos das classes altas não necessitam estudar muito, porque não encontram concorrência. (...) Enquanto enganam os pobres com a idéia de que a revolução está na economia, os ricos mantém os privilégios para seus filhos em escolas que, mesmo não sendo excelentes e não obrigando ao estudo, são melhores do que as escolas dos filhos dos pobres.”

Leia mais...
Uniban e as universidades "de mentirinha": tudo menos educação
Políticas públicas de educação
Dom, 08 de Novembro de 2009 14:17, Escrito por Rodrigo Travitzki

Para além de minissaias, loiras, jovens revoltados com a própria libido e escândalos midiáticos, o episódio da aluna da Uniban tem muito a nos ensinar. Ontem, descobri que ela foi expulsa desta "universidade", e ainda com o argumento "pegagógico" de que "a educação se faz com atitude e não com complacência". Bem, se a Uniban sabe o que é educação, isto é novidade pra mim. Até onde sei, a Uniban é uma empresa que serve para dar lucro, não para educar. Educar não dá lucro. Cursos de especialização sim, mas não universidades.

O artigo abaixo, retirado do portal do Luis Nassif, desenvolve melhor esta idéia. A febre por diplomas universitários (um problema da cultura brasileira) unida à política de "democratização" do ensino superior (o "liberou geral" instituído pelo MEC logo após a nova LDB) produziu esta barbárie no ensino superior. Para se ter uma idéia, no Brasil há quase dez vezes mais faculdades de direito que nos EUA (que é a "terra dos advogados") e há mais faculdades de medicina que em toda a Europa. Os jovens perdem tempo e dinheiro com cursos "de mentirinha", enquanto os donos enchem o bolso de dinheiro. Confira no artigo de André Araujo. Ah, e podem esperar que no próximo mês alguma revista de fotos femininas fará um "ensaio sensual com a loira da Uniban".

Leia mais...