citologia

Todas as células tem todos tipos de organelas?
Material didático/ pedagógico
Ter, 12 de Junho de 2012 08:00, Escrito por Rodrigo Travitzki

Em biologia, é saudável suspeitar de palavras como “todos”, “nenhum”, “nunca” e “sempre”.

Para ajudar na proposta de trabalho da célula 3D, e para outros interessados neste assunto deveras alienígena, fiz a tabela abaixo como uma visão geral da ocorrência das organelas nos diferentes tipos de células. Pode haver alguma imprecisão, porque o conhecimento biológico está em plena transformação, mas a ideia geral é essa.

Para os professores interessados em fazer uma atividade deste tipo, fiz também uma tabela em branco para os alunos preencherem. Clique aqui pra baixar a tabela.

Leia mais...
Projeto Célula 3D (proposta reformulada)
Material didático/ pedagógico
Seg, 06 de Fevereiro de 2012 20:08, Escrito por Rodrigo Travitzki

Atividade planejada para os alunos da 3a. série do Ensino Médio,
feita com base na proposta do ano passado.

1. Objetivos

Ajudar os alunos a visualizarem o mundo microscópico das células e desenvolverem a capacidade de imaginar uma realidade que nunca viram nem faz parte do seu cotidiano. O grupo deverá construir um modelo de célula eucariótica em 3 dimensões, buscando representar de maneira clara as diferentes organelas e seu funcionamento integrado.

2. Proposta de trabalho

Para construir seu modelo, o grupo deverá escolher uma opção (célula vegetal ou animal), podendo também, se quiser, escolher alguma célula mais específica, como um neurônio (animal), uma célula-guarda do estômato (vegetal), etc.

Este ano teremos um significado mais amplo para “3 dimensões”: o grupo pode escolher entre duas possibilidades de 3D:

a) 3 dimensões de espaço. Trata-se da proposta original - construção de um modelo tridimensional de célula.

b) 2 dimensões de espaço e 1 de tempo, ou seja, um vídeo ou animação.

Em ambos os casos, além da representação visual da célula e organelas (que sejam razoavelmente verossimilhantes, ou seja, se pareçam com o que é visto no microscópio), o grupo deverá representar uma atividade da célula, mostrando como tal atividade envolve o funcionamento articulado de diversas organelas. Além disso, nos dois casos as organelas e componentes deverão ser explicitamente identificados, com legenda ou outro recurso que o grupo considerar adequado.

Além disso, para ter uma visão geral de todos os tipos celulares, o grupo deverá coletar e sintetizar informações sobre a ocorrência de organelas nos diferentes tipos celulares.

3. Do que são compostas as células?

Quais elementos estão presentes em cada um dos 3 principais tipos celulares? Qual seria a forma mais sintética de representar este tipo de informação?

Discutam as questões acima e construam a representação que seria a resposta da última. É prudente verificar com o professor as conclusões do grupo antes de colocá-las em prática.

Alguns dos elementos abaixo podem ser encontrados em todos os tipos de células, outros não. 

Principais organelas e elementos celulares

(devem constar na síntese de informações sobre os 3 tipos celulares)

Citoplasma
Núcleo
Membrana Plasmática
Parede Celular
Ribossomo
Aparelho de Golgi
Retículo Endoplasmático
Citoesqueleto
Centríolo
Mitocôndria
Cloroplasto
Lisossomo
Fagossomo
Cromossomo
Vacúolo

Principais moléculas orgânicas

(podem ser citadas durante a explicação do funcionamento integrado das organelas)

Glicose
ATP
Aminoácido
Proteína
DNA
RNA

4. Produtos a entregar

-> Célula 3D.

-> Uma página de texto (todo escrito pelo grupo, com linguagem científica e compreensível), descrevendo a participação conjunta de diferentes organelas envolvidas em alguma atividade que a célula realize.

-> Informações sintéticas sobre ocorrência das diferentes organelas nos 3 modelos celulares.

Pra onde vai o DNA? Mapa mental com transcrição, tradução, duplicação, etc...
Material didático/ pedagógico
Sex, 11 de Setembro de 2009 16:45, Escrito por Rodrigo Travitzki

Há bastante confusão quando tentamos entender o que pode acontecer com uma molécula de DNA, um cromossomo. Não só porque a própria vida é complicada, mas também porque cada coisa tem um nome próprio, uma palavra específica que só os biólogos conhecem.

Para ajudar a entender os processos pelos quais o DNA pode passar, fiz esta figura. O principal é compreender a diferença entre a "vida normal" da célula (fase G1 da interfase) e sua fase reprodutiva. Se quiser, clique aqui para entender o ciclo celular.

VIDA "NORMAL" (fase G1)

Enquanto vive, a célula "ativa" e "desativa" cada um de seus milhares de genes. Quando "ativados", eles levam à produção de proteínas. Isto é mediado pelos ribossomos. A produção de RNA mensageiro a partir de um gene em uma molécula de DNA  é chamada de transcrição. Este RNAm é como se fosse uma "cópia xeróx" do gene - que fica guardado e protegido no núcleo. O RNAm, por sua vez, sai do núcleo e vai para os ribossomos, onde são produzidas as proteínas, no processo de tradução.

Mas por que estes nomes linguísticos? Na transcrição, você passa do oral pro escrito - ou seja, a forma física varia, mas a língua não. Na tradução, por sua vez, há uma mudança de língua. Ou seja, é necessário um código para que se possa traduzir algo. É como se o DNA e o RNA "falassem a mesma língua" (porque têm a mesma estrutura química), mas as proteínas "falassem uma língua diferente" (novamente nos referimos à sua estrutura química). E para "traduzir a língua do DNA/RNA para a língua das proteinas" você precisaria de um código... eis aí o código genético. Lembre-se que o código genético é o mesmo para todos os seres vivos do planeta.

REPRODUÇÃO

A fase reprodutiva começa quando cada cromossomo da cromatina se duplica, para que as duas células-filhas possam ter uma cópia deste cromossomo. Lembrando que cada molécula de DNA é um cromossomo. Depois de se duplicar, tirar um "xeróx" de si mesmo, o cromossomo se condensa, enrola-se sobre si mesmo. Isso ajuda na mecânica de distribuição dos cromossomos entre as células-filhas. É como se você tivesse um monte de fios de lã emaranhados para dividir com seu irmão - seria necessário antes fazer pequenos novelos para depois dividir irmamente.

OBS. Esta é uma explicação simplificada dos processos. Você pode encontrar textos mais detalhados pela rede. Busque, por exemplo, por "síntese de proteína" ou "ciclo celular".