boom universitário

Uniban e as universidades "de mentirinha": tudo menos educação
Políticas públicas de educação
Dom, 08 de Novembro de 2009 14:17, Escrito por Rodrigo Travitzki

Para além de minissaias, loiras, jovens revoltados com a própria libido e escândalos midiáticos, o episódio da aluna da Uniban tem muito a nos ensinar. Ontem, descobri que ela foi expulsa desta "universidade", e ainda com o argumento "pegagógico" de que "a educação se faz com atitude e não com complacência". Bem, se a Uniban sabe o que é educação, isto é novidade pra mim. Até onde sei, a Uniban é uma empresa que serve para dar lucro, não para educar. Educar não dá lucro. Cursos de especialização sim, mas não universidades.

O artigo abaixo, retirado do portal do Luis Nassif, desenvolve melhor esta idéia. A febre por diplomas universitários (um problema da cultura brasileira) unida à política de "democratização" do ensino superior (o "liberou geral" instituído pelo MEC logo após a nova LDB) produziu esta barbárie no ensino superior. Para se ter uma idéia, no Brasil há quase dez vezes mais faculdades de direito que nos EUA (que é a "terra dos advogados") e há mais faculdades de medicina que em toda a Europa. Os jovens perdem tempo e dinheiro com cursos "de mentirinha", enquanto os donos enchem o bolso de dinheiro. Confira no artigo de André Araujo. Ah, e podem esperar que no próximo mês alguma revista de fotos femininas fará um "ensaio sensual com a loira da Uniban".

Leia mais...