autoridade

A autoridade do professor
O educador
Qua, 21 de Maio de 2008 22:10, Escrito por Rodrigo Travitzki

Que o professor deve ter autoridade poucos discordam. Mas o que isso quer dizer? Que ele é um "substituto temporário" dos pais? Que a autoridade do professor é uma "autoridade paterna passageira"? É uma resposta fácil e cômoda: afinal, se você, professor e "não tem autoridade", a culpa é dos pais.

Há também os que dizem que um professor sem autoridade é muito mole, não tem a força necessária para ensinar a disciplina do estudo. Neste caso, o professor é tido como um espécie de "mini-general" mal sucedido, que não consegue a obediência cega de seus soldados.

Pois bem. O que dá autoridade ao professor? O conhecimento? Certamente. Mas e se o aluno souber mais sobre algum assunto? Isto não faz o professor perder sua autoridade?

Pensar desta maneira é um equívoco, e pode levar ao esvaziamento da aula enquanto aula, espaço do saber, do diálogo, da razão. E a partir do momento em que uma aula não é mais uma aula, ela pode tornar-se qualquer outra coisa. E aquela pessoa adulta em pé deixa de ser considerada um professor.

Em entrevista à Caros Amigos, Miguel Nicolelis faz um comentário, referindo-se ao ensino superior, que ilustra bem o que queremos dizer.

"A universidade brasileira ainda vive da hierarquia, da hipótese de que quem está à frente da classe sabe mais. E ainda não permite um canal de desafio. O que aprendi muito nos EUA é que se você está dando uma aula, e o menino do colegial que está na universidade fala que você está falando besteira, “não é assim, é x, y, z”, você tem que parar e falar “tem razão”. Esse canal de comunicação bilateral não existia aqui. Ainda vivemos do saber da autoridade."